Dificuldades na alimentação do seu bebê

Incômodos que o pequeno manifesta através de choro e que, com boa informação e cuidados muito simples, você pode evitar.

Embora de forma diversa, dependendo do tipo de alimentação (amamentação no peito ou na mamadeira) é freqüente que os bebês sofram de doenças, mais ou menos inevitáveis, ao longo das primeiras semanas de vida (quarta semana).

Arroto

Todas as crianças engolem ar ao mamar, tanto no peito quanto na mamadeira. Por isso é importante ajudá-lo a eliminar o ar uma ou duas vezes durante o tempo em que estiver mamando, geralmente no final. Se você não fizer isso, pode ter certeza que os gases vão comprimir seu estômago, trazendo mal-estar e até mesmo regurgito.

Um método simples de ajudá-lo a expulsar o ar é colocá-lo de pé, contra o seu peito e com a cabeça inclinada no seu ombro. Ponha com firmeza a mão nas costas do bebê e, se não soltou seu arroto antes de um minuto, caminhe em volta do quarto com ele na mesma posição, dando pequenas batidelas nas suas costas, muito delicadamente. Fazendo isso ele se distrai e se sente mais tranqüilo e calmo para expulsar o ar.

Se o ar custar a sair, experimente deitá-lo de costas sobre os seus joelhos durante dez segundos, depois torne a sentá-lo na posição anterior; é um método que quase sempre dá certo.

Regurgito

A maioria das crianças regurgita de vez em quando uma golfada de leite ao arrotar. Não se preocupe com isso se seu filho se mantém são e for aumentando de peso.

Vômito

Ao contrário do regurgito, o vômito é abundante e sai a distância. Se for frequente, com coloração verde ou com sangue, pode ser sinal de perigo: leve o bebê ao pediatra.

Diarréia

O ritmo da evacuação de uma criança criada com leite materno é completamente diferente da criada com mamadeira. Os bebês que mamam costumam ter evacuações mais líquidas e constantes, nos primeiros dias, quase todas as vezes que mamam. Mais tarde, embora as fezes não percam suas características, o intervalo entre uma e outra evacuação se espaça, podendo ser de dias, o que a obrigará a estimular a defecação. As fezes têm uma cor amarelo-clara.

No caso do bebê que se alimenta de mamadeira, as fezes são castanhas ou verde-amareladas, de consistência mais firme e com um cheiro também mais forte.

Para se considerar diarréia, é preciso que haja evacuações freqüentes, de consistência aquosa e por vezes acompanhada de muco ou sangue e cheiro muito desagradável.

Outros sinais que podem aparecer com a diarréia são febre, falta de apetite, tristeza e vômitos. Qualquer um desses sinais é razão suficiente para consultar o pediatra.

Soluço

Os bebês têm uma grande tendência para soluços, o que não deve preocupar, mesmo se continuar soluçando enquanto estiver dormindo.

Cólica

São conhecidas como cólicas o incômodo que um bebezinho que está mamando tem acompanhadas de choro a partir da
terceira semana prolongando-se até os 3/4 meses, que é, segundo alguns, a idade em que começa a reconhecer o sorriso da mãe. A causa desse problema ainda não foi bem esclarecida.

Isso ocorre com crianças sãs e bem alimentadas que ficam bem durante todo o dia, mas no fim da tarde começam a encolher as pernas e a chorar com grande agitação. O episódio é interrompido e reaparece mais tarde.

Nesses casos o melhor é segurar a criança numa posição em que se sinta cômoda, sobre o ombro, com o abdômen sobre sua mão.

Convém consultar o pediatra, que provavelmente nada encontrará na criança, mas poderá aconselhar e acalmar você.

Assuntos relacionados: 1 e 2 Semana, 11 e 12 semana, 13 e 14 semana, 15 e 16 semana, 17ª e 18ª semana, 19 e 20 semana, 3 e 4 Semana, 5 e 6 Semana, 7 e 8 semana, 9 e 10 semana, Alimentação, Alimentação do Bebê, Arroto, Bebê, Cólica, Diarréia, Doenças, Febre, Nutrição, Regurgito, Soluço, Vômito