Alimentos complementares para saúde do seu bebê

Alimentos complementares para a saúde do seu bebêOs novos alimentos deverão ser introduzidos aos poucos. Dessa forma serão evitados problemas com o intestino, e você poderá notar se a criança tem intolerância em relação a certos alimentos.

O vômito, a diarreia, o inchaço do rosto ou as erupções cutâneas podem ser sinais de que o novo alimento não foi bem aceito. Consulte o pediatra.

A mesma importância que tem a qualidade do alimento tem a sua atitude ao dar-lhe a comida. Agora, muito mais do que no começo da amamentação, será preciso paciência e habilidade.

Cereais

Você pode começar com papas de milho, arroz ou soja, introduzindo mais tarde, a partir do sétimo mês, papas de trigo, centeio, cevada ou aveia.

Seguimos essa seqüência porque as primeiras têm poder menos alergênico, e não pela ausência ou presença de glúten. A única conseqüência de dar papas com glúten mais cedo seria fazer o quanto antes o diagnóstico de uma doença chamada celiaquia, e isso, na verdade, não seria um inconveniente.

Laticínios

Cálcio, proteínas, vitaminas, gordura... tudo se encontra no leite, um alimento indispensável.

O pediatra poderá indicar qual o melhor momento para introduzir laticínios sólidos (iogurte, queijo fresco...) na dieta do bebê.

Peixes e ovos

Quando seu bebê completar 1 ano, a sua alimentação poderá ser enriquecida com peixe branco e ovos. Introduza primeiro a gema e, mais adiante, a clara. O ovo deve sempre ser cozido, nunca cru. Ele é um alimento riquíssimo, pode ser dado várias vezes por semana. Ao contrário do que se pensa, não eleva o colesterol se frito em gordura vegetal.

Purê de verduras e carnes

A batata e a cenoura podem servir de base para esse purê, que normalmente você oferece ao bebê na hora do almoço.

Como verdura use: couve, abóbora...

Evite dar à criança espinafre até que complete 1 ano de vida. Nem dê beterraba ou nabos porque podem causar um problema na criança chamado meta-hemoglobinemia (a pele e os lábios ficam azuis). Muitas crianças são alérgicas ao agrião e às ervilhas.

Se conservado no freezer, o purê poderá ser usado novamente dentro de no máximo 24 horas.

A carne mais recomendável é a de vaca. E, mais adiante, a partir do momento em que verificar que o bebê não tem alergia ao ovo, também a carne de frango.

O purê deverá ser temperado com azeite e não é necessário colocar sal.

Frutas

Para começar, é melhor oferecer ao bebê fruta em pequenas quantidades antes da mamadeira.

As frutas mais utilizadas são a banana, a pêra, a maçã e mais tarde, com 6 a 8 meses, a laranja, podendo também acrescentar frutas próprias da estação, como tangerina, uva, ameixa, figo...

O morango e o pêssego são mais alergênicos e convém adiar a sua introdução na dieta da criança.

Não acrescente bolachas nem mel ou açúcar na sua comida.

A partir dos 9 meses, a criança tem maturidade intestinal suficiente para tolerar uma maior variedade de alimentos.

A introdução de um alimento ou outro deverá ser feita sempre sob o critério do pediatra. É ele quem sabe melhor as características e necessidades do seu bebê.

Assuntos relacionados: 21 e 22 semana, 23 e 24 semana, 25 e 26 semana, 27 e 28 semana, 29 e 30 semana, 31 e 32 semana, 33 e 34 semana, 35 e 36 semana, 37 e 38 semana, 39 e 40 semana, Alimentação, Alimentação do Bebê, Cereais, Frutas, Laticínios, Nutrição, Ovos, Peixes, Purê de verduras e carnes