Aleitamento artificial – mamadeira, decisão ou necessidade?

Se por alguma razão você não vai amamentar seu filho, evite sentir-se culpada.

Aleitamento artificial - mamadeira, decisão ou necessidadeSe por alguma razão você não vai amamentar seu filho, evite sentir-se culpada. Será sempre melhor para o bebê uma mãe que lhe dá a mamadeira tranqüila e segura de si que uma mãe que transmita a sua inquietação e mal-estar.

Numa sociedade como a nossa, o perigo para o bebê é muito baixo; além disso, a mamadeira permite uma comunicação ativa entre o pai e o bebê, se ele também colaborar na sua alimentação. Em certos casos, apesar do desejo da mãe, é necessário recorrer à alimentação mista ou mesmo apenas artificial. Isso acontece quando a mãe sofre de alguma doença. Dado que não existe uma regra exata, a pessoa mais indicada para avaliar a situação e receitar o que é mais conveniente é o próprio pediatra.

Se devido a problemas pessoais ou médicos uma mãe precisar recorrer ao aleitamento artificial, não há razão de preocupação. Não é por causa disso que a criança não vai se desenvolver perfeitamente.

Se a criança perde peso ou não cresce como devia, a falta do leite materno pode gerar nela um estado de ansiedade e cansaço que faz com que seja indispensável a alimentação artificial. Converse com o seu pediatra.

Assuntos relacionados: Aleitamento Artificial, Aleitamento Materno, Bebê, Mãe e Filho, Mamadeira, Nutrição, Pai e Filho