O papel do Pai

RELAÇÃO PAI E FILHOEntende-se que, para começo de história, sem pai não há gravidez. É preciso contar com o homem para que a concepção aconteça. Depois, ele deve ganhar o seu devido espaço para participar e compartilhar momentos que virão a ser inesquecíveis.

Vera Iaconelli é psicóloga e coordenadora do Instituto Brasileiro de Psicologia Perinatal, e explica como o pai vê a gravidez:

“Em suma, o pai também vive transformações na gestação. Afinal, ele também está gestando um novo papel, seja como pai de primeira viagem, seja com a chegada de outros filhos que trazem uma dinâmica familiar inteiramente nova em que se tem que lidar com ciúmes, diferenças etc".

No período da primeira gravidez, a família que antes era constituída por duas pessoas, vai contar como três ou mais membros. E a soma é a mesma para as gestações seguintes: sempre um novo ente será agregado. É uma fase em que todos passarão por transformações e quanto mais envolvidos estiverem, melhor o resultado.

 "A presença atenciosa e amorosa do pai afeta o amor que se estabelece entre mãe e filho”, o que também ajuda na formação do vínculo, que é maravilhoso nesse início de vida." Explica Vera.

Ao conviverem com o filho nos braços, um pai e uma mãe também nascem no homem e na mulher. É uma nova era, em que a dedicação torna-se algo central. A mãe vive experiências como oferecer o peito, acariciar o bebê no momento do banho e nas trocas de fralda (parte delas também executadas pelo pai) e o apoio de seu companheiro proporcionará, além de ajuda, conforto e bem-estar.

“A mãe precisa receber uma ‘maternagem’ do companheiro para poder ‘maternar’ o filho. Isso não é pouca coisa e requer uma troca amorosa intensa. Um projeto de tamanha importância, que diz respeito a gerar outra vida, não poderia exigir de ambos os pais menos que tudo”, completa a Dra. Vera.

A licença-paternidade

A maior parte dos projetos de lei atuais que tramitam pelo Congresso Nacional pretende aumentar os dias da licença-paternidade de cinco para 15 dias. Algumas empresas privadas no Brasil já aderiram à mudança e chegam a permitir que o pai afaste-se por 30 dias.
Esta transformação também valorizará a figura paterna e vai ajudar bastante as mamães!

Assuntos relacionados: Família, Gestação, Pai, Relacionamento