Alimentação Infantil: O que deve ser evitado

Saiba o que dever ser evitado na hora de alimentar o seu bebê!

smiling baby eating food on kitchenAlguns alimentos são mais indicados nos primeiros 12 meses por conta de suas substâncias nutritivas. Saiba o que dever ser evitado na alimentação infantil e quais alimentos vão contribuir para o desenvolvimento do seu bebê.

A alimentação do bebê é um dos principais cuidados e um dos maiores desafios encarados pelas mamães. Fazer escolhas saudáveis são essenciais para o crescimento da criança e seu desenvolvimento.

Mesmo assim, as dúvidas estão sempre presentes, seja pelo sabor dos alimentos ou consistência.

Por tudo ser uma descoberta, nossos filhos costumam gostar de todos os sabores até definir o paladar, mas quais são os melhores alimentos no primeiro ano do bebê?

Dentro da alimentação infantil é importante ter de maneira clara o que deve ser evitado e o que vale a pena acrescentar na rotina. Veja só!

Complementando a amamentação

Os alimentos que complementam o aleitamento materno começam a ser inseridos na dieta do bebê a partir dos seis meses de vida.

Esse período começa com as clássicas papinhas doces e salgadas, assim como frutas e sopas também, mas o leite ainda é a base da alimentação.

É um mundo de descobertas, tanto para a mamãe quanto para o bebê. É importante persistir e ter paciência para essa nova fase do filho.

Converse com seu pediatra sobre quais alimentos são mais indicados para começar essa introdução na dieta do bebê.

As papinhas salgadas devem conter legumes, alguma carne e verduras. Se possível, inclua algum cereal para deixar ainda mais nutritivo. Na sopinha, coloque batatas, cenouras, cebola, couve e alguma carne.

Para começar, não bata no liquidificador para que seu filho experimente novas texturas e comece a mastigação. Pode espremer, amassar, ralar e peneirar a comidinha. E nada de temperos. A criança precisa apenas do alimento e seus nutrientes, não há necessidade de acostumá-lo com um tempero nesse momento, pois seu organismo nem está preparado para isso.

Procure frutas da estação para dar início a degustação do bebê e escolha as mais ácidas para estimular o paladar.

No sexto mês, água e sucos naturais também podem ser introduzidos na rotina alimentar do seu filho com cerca  100ml por dia, mas sem açúcares ou outros adoçantes. É importante que a criança conheça o sabor real de cada comidinha ou suco.

A partir do nono mês, dê alimentos mais consistentes, pois o bebê já estará mais acostumado com a mastigação. Ofereça pedaço de frutas ou um pãozinho mais macio.

Faça a variações dos alimentos no momento de preparar a comida para que seu filho tem o maior acesso possível a diferentes sabores e possa formar seu paladar da melhor maneira. Uma criança restrita a apenas alguns alimentos, terá muita dificuldade durante seu crescimento para se ajustar às refeições. Portanto, apresente a maior variedade de legumes, verduras, carnes e frutas.

Nesse momento, a comida já pode ser temperada, mas de forma leve para não agredir o sistema digestivo do bebê.

Agora que você já sabe o que é bom para seu filho, veja o que deve ser evitado na alimentação infantil.

Tamanho dos alimentos 

Como o bebê ainda está aprendendo a mastigar, cuidado com o tamanho e formato dos alimentos. Evite uvas inteiras ou pedaços grandes de legumes, por exemplo, pois a criança pode engasgar.

Corte em pedacinhos bem pequenos até que o bebê se acostume com a mordida para, então, desfrutar de mais alimentos e outras consistências.

Alimentos com corantes

Corantes artificiais podem causar alergia através dos alimentos e devem ser evitados na alimentação das crianças até os dois anos.

Em caso de reação alérgica, os sintomas podem ser inchaço, placas vermelhas pelo corpo ou muita coceira.

Esteja sempre atenta à descrição dos rótulos para que os corantes não passem despercebidos em algum alimento do bebê.

Os alimentos naturais são sempre a melhor opção para a rotina alimentar de seu filho, mas já existem muitos produtos feitos com corantes naturais e que também podem entrar na alimentação do bebê a partir do primeiro ano de idade, como as gelatinas e geleias.

Consumo de gordura

Muitos alimentos possuem algum fator de gordura, bem como gordura-trans ou saturadas. Opte sempre que possível pelos alimentos com gordura, mas com altos nutrientes e complementos para ajudar no desenvolvimento da criança.

Busque alimentos com gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas, presentes em sementes, como amêndoas e castanhas e óleos extraídos do azeite, soja e canola, e também em forma de Ômega-3, encontrada nos peixes.

Quando consumir produtos com gordura-trans, esteja atenta ao percentual. É obrigatório que o rótulo informe se o total de gordura-trans é menor ou igual a 0,2g por porção. Em embalagens que informam estar “livre” da gordura, verifique se há gordura vegetal, que também é gordura-trans.

Alimentos enlatados ou industrializados

A plaquinha a favor dos alimentos naturais mais uma vez sendo levantada. As opções de enlatados ou industrializados devem sempre ser evitadas, mas principalmente durante a alimentação infantil.

Esses alimentos são ricos em açúcar, gordura e sódio que podem prejudicar o sistema digestivo da criança, bem como seu organismo que só tem recebido alimentos naturais e saudáveis.

Fuja de refrigerantes, biscoitos recheados, sucos em pó, salgadinhos, entre outros. Sabemos que são opções saborosas, mas com poucos nutrientes e que podem fazer com que a criança não deseje mais comer os alimentos naturais.

Crianças com acesso irrestrito a esses alimentos costumam desencadear obesidade ou doenças, como pressão alta e diabetes, anemia, desnutrição e até cardiovasculares.

Não coma diferente 

As crianças observam seus pais para imitá-los, portanto dê o exemplo inclusive na alimentação.

Você já deve ter visto alguns pais como uma alimentação nada saudável, mas que tentam inserir refeições naturais e nutritivas na rotina de seus filhos, porém sem nenhum sucesso.

Se você comer diferente de seu filho, ele irá querer comer o mesmo que você. Por isso, nada de fazer refeições diferentes. Coma o mesmo que a criança. É importante ser um exemplo na alimentação.

Sem premiações

O bebê ainda não sabe escolher sua comida, mas é importante já ter essa lição em mente: não associe a alimentação com prêmios.

Quando a criança começar a definir o paladar, dirá sim ou não para algumas coisas, mas isso não é motivo para você e o papai negociarem o que vai entrar na refeição.

Os alimentos são importantes para a saúde do seu filho e se ele puder comer o que quiser logo cedo, você não conseguirá ter controle sobre suas refeições quando ele crescer mais ainda. Por isso, mantenha-se firme na hora da alimentação mesmo que o choro apareça.

Açúcar e sal

É essencial que o bebê tenha contato com o sabor puro dos alimentos até os nove meses, portanto, nada de temperos ou acréscimo de açúcar ou sal.

A partir daí, o tempero leve já pode fazer parte da dieta da criança, mas muito cuidado. Faça com que ela se acostume com o sabor e aroma real da comida para definição do paladar, além de ser muito mais saudável.

Também vale a dica para ficar atenta com a quantidade de sódio presente nos alimentos.

Nos biscoitos, sucos em pó, refrigerantes e macarrão instantâneo há muito teor de sódio, que é prejudicial para a saúde em médio e longo prazo. O excesso do mineral pode desencadear sérios problemas renais, obesidade e hipertensão.

Abaixo, temos duas receitas deliciosas e super saudáveis que você pode acrescentar na alimentação do bebê, veja só!

Panqueca de batata doce com banana (para bebês com mais de 7 meses que comem ovo)

Ingredientes:

  • 2 batatas doces pequenas (ou 1 grande)
  • 2 ovos médios
  • 1/2 banana grande
  • 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • Pitada de canela, gengibre
  • Azeite ou óleo de coco para cozinhar

Modo de preparo: Cozinhe as batatas descascadas. Em um processador, adicione a batata, os ovos e as bananas (para adocicar). Deixe virar um purê e adicione o bicarbonato e temperos a gosto. Coloque a quantidade de ¼ de xícara na frigideira untada, vire, deixe mais ½ minuto e sirva.

Mousse de chocolate (para bebês já adaptados a comer, por volta dos 9 meses e sem refluxo)

Ingredientes:

  • ½ abacate (em ótimo estado, nem passado, nem duro)
  • 70 gramas de uva passa
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó
  • 1 banana

Modo de preparo: Misture tudo no processador ou liquidificador, reserve na geladeira por 2 horas e sirva.

A alimentação dos pequenos dá trabalho, mas a satisfação de vê-los conhecendo novos sabores é indescritível. E quanto mais variado e nutritivo for o cardápio, mais saudável será o crescimento do bebê! O esforço vale a pena.

manual-do-bebe-2-banner-verde

Assuntos relacionados: 25 e 26 semana, 27 e 28 semana, 29 e 30 semana, 31 e 32 semana, 33 e 34 semana, 35 e 36 semana, 37 e 38 semana, 39 e 40 semana, 41 e 42 semana, 43 e 44 semana, 45 e 46 semana, 47 e 48 semana, 49 e 50 semana, 51 e 52 semana, Alimentação do Bebê, Desenvolvimento