Alergias ao calor

A Pele do seu bebê.

Alergias ao calorÉ comum o bebê sofrer com alergias dadas pelo calor e outros aspectos presentes nos dias mais quentes do verão, mas é possível cuidar da pele do seu filho e deixá-lo curtir fresquinho e sem irritações

O verão desencadeia várias alergias e os pequenos, crianças e bebês, são os que mais sofrem com as altas temperaturas. Os problemas podem aparecer pelo próprio calor intenso, presença de mosquitos, areia da praia ou até mesmo o cloro da piscina tão desejada.

Algumas das alergias mais presentes na estação são as conhecidas brotoejas, dermatites e picadas de insetos. Muitas alergias se dão pelo próprio suor da pele do bebê. Por isso, algumas precauções são essenciais para manter o bem-estar da criança e também cuidar caso algum problema de pele apareça.

Conheça cada uma das alergias ao calor e como prevenir para manter seu filho saudável.

Brotoejas

Nas crianças, principalmente nos bebês, as alergias estão mais presentes devido a imaturidade das glândulas sudoríparas e as famosas brotoejas podem aparecer.

As brotoejas, chamadas de sudâmina ou miliária, se dão pela obstrução do suor na pele, causando as bolinhas vermelhas ou bolinhas com conteúdo líquido que podem causar coceira.

Pelo perigo de coçar, é importante ficar atenta com a reação do bebê para que as brotoejas não se tornem feridas e infecções.

Para essa alergia não existe tratamento específico. Como as bolinhas surgem do suor, a solução é deixar o bebê sempre fresquinho e com roupas leves que permitam a transpiração.

Dermatite

Também conhecida como eczema, a dermatite tem como sintoma pele seca, vermelhidão e coceira. Nos primeiros meses de vida do bebê, a dermatite aparece no rosto, peito, braços, pernas e couro cabeludo.

Além do calor, a criança pode ter a dermatite atópica ou hereditária. Por isso, é importante prestar atenção no uso de sabão para a lavagem das roupas e sabonetes para o banho, entre outros componentes químicos que a criança tenha contato e possa gerar essa irritação da pele. Nada de banhos muito quentes e demorados para não deixar a pele tão exposta e nem ressecar ainda mais.

Assim como as brotoejas, fique atenta às coceiras para que não se tornem espaços para fungos e outras infecções.

Para ajudar na regeneração da pele, use hidratantes próprios para bebês que o seu médico indique e procure por roupas leves e de tecido natural para que a pele do seu filho possa respirar. Se for identificado alergia por algum produto químico, o ideal é eliminar o uso do mesmo na criança e conversar com o pediatra sobre substituições e cuidados.

Insetos

Os insetos também entram na lista. As picadas dos mosquitos típicos da estação causam reações no local do contato ou da picada. Os sintomas são variados: coceira, vermelhidão, e bolinhas vermelhas.

Cubra o berço com mosquiteiro e use repelentes de tomada no quarto do bebê para evitar o contato dos mosquitos.

Caso o bebê seja picado, observe se alguma reação alérgica aparece. Se não aparecer, não há com o que se preocupar. As picadas podem ser tratadas com compressas frias para eliminar a sensação de coceira e inflamação. Se houver reação alérgica, consulte o pediatra o quanto antes para o acompanhamento da picada.

No Brasil, o mosquito da dengue ganha muito mais força na época de calor e chuvas, características do verão. Proteja sua casa contra o inseto e passe repelente no bebê quando sair de casa para que ele fique imune às picadas.

Assaduras

As assaduras tão comuns entre os bebês estão entre as alergias que mais incomodam e podem ser portas de entrada para infecções se não cuidadas adequadamente.

Dias muito quentes junto à transpiração da pele do bebê em contato com a fralda, além das fezes e urina, causam as irritações tão indesejadas.

Passe pomadas neutras que reforcem a proteção da pele e, assim, ajudar a evitar que as assaduras apareçam. E quando puder, deixe o bebê livre para que a pele possa respirar e ganhar mais proteção natural, tornando-se mais forte contra resíduos externos e contatos.

Agora que você já sabe o que pode acontecer com o bebê e todos as alergias ao calor, é essencial saber como prevenir essas irritações da pele. Algumas medidas simples, mas que farão toda a diferença para a saúde do seu filho e irão ajudá-lo a aproveitar mais o verão.

Hora dos banhos

O bebê deve tomar mais de um banho por dia para manter a pele sempre fresca e arejada. Dê um banho morno e não use sempre o sabonete, já que o intuito é apenas deixar a pele refrescar. O sabonete em excesso resseca a pele e tira toda a proteção natural, o que pode desencadear alergias.

Hidratar é essencial

No caso do aleitamento materno, o bebê já tem todos os nutrientes que precisa. Caso ele já esteja maior, é importante hidratar com água e sucos naturais. O líquido ajuda na hidratação da pele e mantém o bebê protegido nos dias mais quentes.

Filtro solar

Até os bebês precisam se proteger contra os raios solares, então o uso do protetor solar é mais que indicado. O produto pode ser usado a partir do sexto mês de vida sob a recomendação do médico.

A pele dos pequenos é muito sensível, por isso é necessário esperar alguns meses após o nascimento, mas também é importante que seja usado para evitar lesões e queimaduras de exposição ao sol.

O bebê livre

Em dias muito quentes, nada de roupa! Deixe o bebê de fraldas para que ele fique bem confortável em sua rotina. Não há necessidade de deixar o bebê sempre vestido se ele estiver em casa, por exemplo. A criança à vontade fica muito mais feliz para fazer o que gosta e interagir com a família.

Ambientes ventilados também deixam qualquer pessoa mais confortável no verão, imagine um bebê. Leve-o para dar uma volta no jardim ou passe seus momentos com ele do lado de fora da casa; é muito mais gostoso e saudável.

Roupas em excesso

As opções para as roupas do bebê, tanto para meninos quanto para meninas, são as mais lindas. Mas você presta atenção no conforto da roupa? Na qualidade do tecido e até mesmo se é sintético ou natural?

No verão é essencial que os bebês usem roupas leves e que ajudam na transpiração do corpo. Eles precisam de liberdade nos movimentos e as roupas não podem ser coladas ao corpo para que não gere incômodo.

Para avaliar se a roupa incomoda, veja se o bebê está transpirando muito. Suor na nuca ou as bolinhas pelo corpo já mostram que a temperatura do corpo está elevada.

As roupas de algodão são as mais indicadas por ser um tecido natural e com muita liberdade de movimento, além de permitir a transpiração. Evite roupas feitas de nylon e poliéster pois retém muito calor.

Lembre-se: escolha produtos específicos para bebês e crianças, prefira as sugestões do pediatra e observe as contraindicações: alguns não podem ser usados em menores de 2 anos.

O Manual do Bebê é um guia completo com todas as informações sobre os 12 primeiros meses da pessoa mais importante da sua vida.

Assuntos relacionados: 1 e 2 Semana, 13 e 14 semana, 15 e 16 semana, 19 e 20 semana, 21 e 22 semana, 23 e 24 semana, 3 e 4 Semana, 35 e 36 semana, 37 e 38 semana, 39 e 40 semana, 41 e 42 semana, 43 e 44 semana, 45 e 46 semana, 5 e 6 Semana, 7 e 8 semana, Nascimento, Pele do Bebê