Medicamentos e vacinas no período de gravidez

MEDICAMENTOS E VACINAS NO PERÍODO DA GRAVIDEZNuma coisa todas as grávidas concordam: fazer o máximo para que o bebê em sua barriga passe bem. Por isso, no caso de uma doença, surge a grande dúvida sobre tomar ou não um medicamento sem saber qual a consequência sobre a criança.

Especialistas partem do princípio de que as gestantes tomam medicamentos no primeiro trimestre da gravidez por ainda não saberem que estão grávidas.

 

Devido ao momento delicado do desenvolvimento dos órgãos da criança nos primeiros três meses, isso pode não fazer bem ao bebê. Os remédios podem alcançar a placenta por intermédio da circulação sanguínea da mãe. A placenta forma uma barreira contra alguns deles, de forma que se tornam inofensivos à criança. Entretanto, ela permite a passagem de outros, o que, por um lado, pode ser positivo quando usado terapeuticamente, mas por outro lado pode ser negativo e causar problemas.

Quando uma mulher que deseja um filho sofre de alguma enfermidade, a gravidez, por um lado, pode correr risco devido à doença mas, por outro, a enfermidade pode se agravar durante a gestação. Portanto, é necessário conversar com o médico sobre eventuais doenças preexistentes, preferencialmente antes de engravidar. Assim, é possível realizar uma adaptação medicamentosa à gravidez planejada em tempo hábil. O dentista também deve ser informado sobre a gravidez antes de entrar em ação.

Ingestão de Medicamentos

Seu médico precisa saber que você está grávida, assim ele só prescreverá remédios que não coloquem a gravidez em risco. Com certeza, ele só recomendará o uso de medicamentos realmente necessários. Mas em hipótese alguma uma mulher que sofre de enfermidades crônicas, como asma brônquica, epilepsia ou hipertensão arterial, deve deixar de tomar qualquer medicamento por temor de má-formação do bebê. Uma interrupção imediata dos medicamentos pode ter consequências sérias e intensificar a doença, com possíveis sequelas também para a criança. A ingestão de alguns poucos medicamentos de risco para a gravidez, como derivados de ácidos vitamínicos, derivados de cumarina e citostático, deve ser sempre discutida previamente com o médico. Medicamentos homeopáticos e outros agentes naturais são inofensivos, porém, atenção, existe a possibilidade de uma substância ou preparado apresentar consequências negativas para a gestação. O mais seguro é você pedir conselhos para seu médico antes da ingestão de qualquer medicamento.

Vacinas

Vacinas devem ser aplicadas por um médico. Ele aconselhará suas pacientes sobre o momento em que elas devem ser vacinadas e de que forma elas podem se proteger contra enfermidades contagiosas. Uma mulher que deseja ter um filho deve estar imunizada contra varicela e rubéola antes da gestação. Ser contaminada por rubéola ou varicela durante a gestação pode significar um risco para o bebê. Caso não esteja imunizada, o contato com pessoas infectadas deve ser evitado obrigatoriamente. Mulheres não vacinadas podem receber a vacina após o parto de seu filho.

Assuntos relacionados: Asma Brônquica, Doenças, Drogas, Epilepsia, Gravidez, Hipertensão, Medicamentos, Semana 1, Semana 2, Semana 3, Semana 4, Semana 5, Semana 6, Semana 7, Semana 8, Vacinas